Ainda são inúmeras as dúvidas sobre o que é Psicologia, o trabalho do psicólogo e quando é necessária a sua atuação.

 

O que é Psicologia e a atuação do Psicólogo

O psicólogo é um profissional habilitado a atuar em diversas áreas em que o ser humano é fundamental. Sua atuação profissional envolve, direta ou indiretamente, indivíduos, famílias, escolas, empresas, sistema judiciário, saúde, clínicas particulares, meios de comunicação, comunidades e a sociedade como um todo.

Nosso trabalho na clínica consiste em utilizar as técnicas e estratégias da Psicologia para avaliar, diagnosticar e orientar pessoas com transtornos psicológicos, problemas de aprendizagem, sofrimento emocional ligado a perdas e lutos, processo de separação, dificuldades no relacionamento social, interpessoal e sexual entre outros. O psicólogo irá elaborar e desenvolver, junto ao seu paciente, maneiras de promover a saúde psíquica através de programas de prevenção e manejo do transtorno.

Na área do Trabalho, nosso trabalho consiste em recrutar, selecionar e avaliar pessoas para o mercado de trabalho, elaborar e aplicar programas de treinamento e formação de mão de obra e promover ações visando a Qualidade de Vida no trabalho.

 

Quando procurar um Psicólogo Clínico

São diversos os motivos que podem levar uma pessoa a buscar o serviço de um psicólogo. Geralmente, as pessoas buscam o atendimento psicológico por se sentirem angustiadas, em sofrimento psíquico ou ainda, foram encaminhadas pelo médico com diagnóstico ou sintomas de depressão, ansiedade, excesso ou falta de apetite, insônia, delírios, alucinações, fobias entre outros.

Há pessoas que buscam conhecer suas potencialidades e melhorar a autoestima, outras querem entender e solucionar dificuldades no seu relacionamento com os outros.

Há casos onde a motivação para buscar este atendimento psicológico se dá por alguma mudança significativa na vida como a perda de alguém importante, uma separação, perda ou troca de emprego, aposentadoria, gravidez, nascimento dos filhos, casamento, adoção entre outras tantas situações.

Enfim, os motivos que levam a procurar o serviço do psicólogo são muitos, o que contraria a crença de que “Psicólogo é coisa de louco”.

 

Meu trabalho na Psicoterapia 

Minha atuação é orientada pelo conhecimento da Psicologia Analítica Junguiana. Esta abordagem, também referida como Psicologia Analítica, é baseada na teoria e prática desenvolvida por Carl Gustav Jung (1875-1961), psiquiatra suíço, além de outros autores que deram continuidade às suas ideias.

Enquanto método aplicado à psicoterapia, a proposta de Jung acontece a partir do encontro e do diálogo entre duas pessoas (terapeuta e paciente) que interagem e desenvolvem diversas explorações e reflexões sobre as questões trazidas pelo paciente.

Nesse relacionamento dialético de propósito terapêutico, o terapeuta irá intervir no sentido de promover a movimentação psíquica do paciente, propondo a observação de suas atitudes conscientes e buscando possibilidades de mudanças através da relação com conteúdos inconscientes.

O terapeuta poderá utilizar vários recursos para relacionar-se com o paciente e para favorecer seu desenvolvimento e acesso a camadas mais profundas de sua psique. Além da comunicação verbal, que acontece comumente através de um diálogo face a face, podem-se utilizar outros meios de expressão e comunicação, tais como:

Análise de sonhos: observação e reflexão em diversos níveis (do mais pessoal ao mais coletivo e simbólico) sobre o material onírico trazido pela pessoa no decorrer do processo terapêutico, suas imagens, impressões, sensações e associações. O trabalho com sonhos tem destaque na abordagem, sendo um elemento extremamente enriquecedor do processo psicoterapêutico por permitir acesso especial ao inconsciente.

Técnicas Expressivas Gráficas ou Plásticas: utilização de desenhos, pinturas, modelação em argila ou materiais similares realizados na sessão ou fora dela.

Histórias e Contos: utilização de histórias e contos pertencentes a várias culturas e épocas, com temas centrais que representem simbolicamente situações e estados psicológicos específicos.

Outros tipos de produções: materiais diversos propostos e criados pelo próprio paciente a partir de seus interesses, tais como escritos, poemas, músicas, etc.

Deve-se compreender que os recursos citados serão utilizados de acordo com o desenvolvimento do processo terapêutico e com a necessidade de cada pessoa que busca o atendimento.

 

Duração 

Cada pessoa tem um processo diferente e é vista como um ser único e por isso, é inexata a previsão de duração de um processo psicoterapêutico. A duração do acompanhamento psicológico depende da confiança e vínculo na relação terapêutica e da disposição do paciente para a reflexão e para a mudança de atitudes. Paciente e terapeuta decidem juntos o processo de alta.

 

Atendimentos 

Em geral, os atendimentos são semanais, com duração de aproximadamente 50 minutos, com dia e horário pré-determinado. É importante haver uma rotina, ou seja, os dias e horários acordados com o psicoterapeuta deverão ser respeitados e quando não for possível comparecer á consulta marcada, avisar com antecedência mínima de 24h.